Moto M: Análise completa

Por Jean_Carlos Quinta-feira, 24 de Novembro de 2016

Moto M: Análise completa

Há algum tempo o Google anunciou a venda da Motorola Mobility para a Lenovo, mas poucos sabem disso apesar de ter sido divulgado em grande escala. Agora, o primeiro aparelho, após a união das duas marcas, foi divulgado em um evento realizado no último dia 8 de novembro. O Moto M, chegou deixando bem claro que fora uma união de dois aparelhos já conhecidos, o Moto (da Motorola) e o Vibe (da Lenovo).

É claro que para firmar a junção da Lenovo e da Motorola, o produto apresentou visual totalmente diferente dos modelos anteriores das marcas, e se podemos dizer, bem chamativo para sua categoria.

Entretanto, durante esse evento, o aparelho não ficou tão em destaque como esperado, mas as fotos que vazaram na internet nos últimos dias, deixaram bem claro o quanto as duas marcas - que agora se tornaram uma só - trabalharam para apresentar um aparelho com um design bonito, mas sem deixar de lado todas as funcionalidades que um smartphone pode trazer.  

No Brasil a Lenovo tenta emplacar o robusto Moto Z fazendo a campanha "Família Moto Z com Moto Snaps" , apresentada por Mariana Weickert , que a cada episódio recebe um desafio para cumprir com o novo aparelho e suas diversidades.

O que há de novo, Moto M?

Primeiramente temos que falar da carcaça do aparelho que é inteiramente feita de metal - deixando de lado o velho plástico, antes usado nos aparelhos da Motorola. Com esse material, o celular passa a sensação de ser premium e de maneira geral mostra elegância na construção desse dispositivo, em certo momento lembra de longe o iPhone 6s.

Já em relação às bordas laterais, elas ganham maior proporção nas partes inferiores e superiores por conta da câmera frontal, alto-falante, sensor de luminosidade e a logo, que virá na parte da frente do aparelho.

Além disso, o painel de trás do smartphone contém, além do sensor fotográfico da câmera principal, um LED duplo para o flash e leitor de impressão digital, sem falar nas  listras de policarbonato que tendem a proteger o sinal da antena do celular.

O Moto M já está sendo vendido na China por 1.999 Yuan, o que equivale a cerca de US $ 290 (dólares), que pode chegar ao Brasil no valor de R $ 1.000, 00. Porém, o smartphone ainda não tem previsão para chegar em território brasileiro.

Fica aí a dica para a Lenovo, que o Natal está chegando, e como de praxe a Apple, por exemplo, costuma apresentar ao Brasil seus lançamentos nessa época. Que tal uma concorrência para dar um gostinho a mais?! 

Memória

Com 4 GB de memória RAM  e 32 GB de memória interna, esse celular não traz muita novidade com relação a armazenamento, uma vez que a maioria de celulares lançados no últimos dois anos possuem esses mesmos números. Não que seja um aparelho com memória ruim, não mesmo. Com 4 GB de memória RAM o Moto M pode rodar praticamente todo tipo de app disponível no Google Play Store e com 32 GB de memória interna pode satisfazer prontamente o mais exigente dos usuários, além disso o armazenamento interno tem a opção expansível para até 128GB com microSD.

Há boatos que sugerem que a Lenovo também lance uma versão diferente, com 3GB de RAM e 32GB de armazenamento.

Câmera

A câmera principal desse aparelho possui 16 megapixels com autofoco em detecção de fase e dois LEDs para o flash, a câmera frontal de 8 megapixels usa lentes grande-angulares de 85 graus, em outros termos é um smartphone com um ótimo conjunto de câmeras. Com esses recursos o aparelho é capaz de executar boas selfies e além disso, para quem precisa de um flash na parte da frente do celular, saiba logo que esse recurso não é visto no Moto M, o que pode até decepcionar.

Bateria

Logo quando foi anunciado o Moto M, a sua bateria de 5.100mAh chamou atenção pela sua incrível capacidade. Segundo a sua fabricante, ela é capaz de aguentar impressionantes três dias de conversação, o que realmente é excelente tendo em vista que de modo geral, os smartphones têm conseguido no máximo um dia e meio de conversação.

Especificações técnicas do aparelho:

●    Tela Super AMOLED de 5,5 polegadas, protegida pelo vidro curvo 2.5D;
●    Display: de resolução Full HD ( 1920 x 1080 pixels );
●    4 GB de Memória RAM;
●    32 GB de memória para o armazenamento interno;
●    Podendo ser expandida através de um cartão microSD de até 128 GB;
●    Chipset MediaTek Helio P15;
●    Processador de oito núcleos ARM Cortex-A53 rodando em até 2,2 GHz;
●    ARM Mali-T860 MP2 como placa gráfica rodando em até 800 MHz;
●    Câmera principal de 16 megapixels com autofoco em detecção de fase e dois LEDs para o flash;
●    Câmera frontal de 8 megapixels, usando lentes grande-angulares de 85 graus;
●    Leitor de impressões digitais no painel posterior;
●    Dolby Atmos para reprodução sonora (porta de 3,5 milímetros inclusa);
●    Conectividades 4G VoLTE, WiFi 802.11 ac, Bluetooth 4.1 LE, GPS, NFC;
●    Porta USB Type-C;
●    Dimensões de 151,35 x 75,35 x 7,85 milímetros;
●    Bateria de 3.050 mAh;
●    Android 6.0.1 Marshmallow;
●    Peso: 163 gramas.

O Moto M, aposta sincera da Lenovo, é um bom dispositivo. Ele é bonito e com boas especificações técnicas, mas para quem deseja mesmo um top de linha, o Moto Z e Moto Z Play pode suprir melhor suas exigências. O Moto M não é modesto e pode agradar melhor os usuários de smartphones intermediários e quem deseja um aparelho de bom custo-benefício, principalmente se esse celular chegar ao Brasil com preço abaixo de R$ 1.400.

Comentários