Xiaomi: conheça tudo sobre essa marca que dispara em vendas com seus produtos baratos e com qualidade

Por Ismaellx Terça-feira, 12 de Setembro de 2017

A marca chinesa Xiaomi é uma das cinco maiores fabricantes e distribuidoras de smartphones do mundo, rivalizando com gigantes como a LG e Lenovo. Há apenas dois meses fechou um acordo com a Nokia para venda de patentes a fim de produzir novos e melhores aparelhos. Além disso, a marca que entrou no mercado de smartphones em 2011 só vem crescendo desde então. Afinal, o que tem essa marca de tão especial?

A Xiaomi surgiu em 2010. Seu fundador e CEO, Lei Jun, pertencente ao seleto grupo dos maiores bilionários do mundo e dos mais ricos da china, segundo a Forbes. De espírito empreendedor, chegou a vender uma plataforma on-line de venda de livros (Joyo.com) à filial chinesa da Amazon.com pelo incrível valor de 75 milhões. Porém, sua carreira realmente decolou após a fundação da marca de eletrônicos que rapidamente se tornou uma das empresas recém-lançadas de tecnologia mais valiosas do mundo. Não é à toa que Lei Jun é considerado o ‘Steve Jobs chinês’.

Mesmo sendo considerada uma empresa jovem, logo se tornou uma gigante dos eletrônicos e smartphones. Em 2017 foi eleita a 5ª marca chinesa de maior presença global. Conseguiu isso por sua estratégia em atender um mercado quase esquecido por marcas maiores – a de smartphones de valor mais acessível.

Em 2015 a pequena gigante da tecnologia veio ao Brasil, nos apresentando modelos como o Redmi 2 e Redmi 2 Pro. Porém, nem toda empresa está livre de erros e não soube lidar com o mercado tupiniquim corretamente e em 2016 deixou de lançar novos smartphones no país. No entanto a marca não perde seu brilho, e mesmo importado pode se provar muito bem barato, principalmente porque é possível ainda comprar pelo próprio site da empresa ou por importadoras conhecidas.

Confira abaixo o que a marca chinesa pode nos oferecer e porque devemos prestar atenção nela.

Xiaomi Redmi 2 - O mais barato

Quando a Xiaomi se instalou no Brasil, o Redmi 2 foi a grande aposta. Com preço inicial sugerido de R$499, é um dos celulares de entrada mais baratos e tem uma excelente relação custo benefício.

Xiaomi Redmi 2

 

Os smartphones Xiaomi Redmi 2 tem um design atraente, toque agradável e ainda apresentam um excelente custo benefício.

Com dimensões de 134 x 67,7 x 9,2 milímetros, o smartphone conta com apenas 134 gramas. Lembra um pouco o design da Samsung, mas tem um corpo mais elegante, todo em plástico. Sua tela LCD IPS com 4.7 polegadas tem resolução de 1280x720 pixels e ótima qualidade de ângulo de visão e cores muito vivas, além de contar com a tecnologia Dragon Trail, que protege a tela de pequenos riscos.

Sua câmera de 8 megapixels permite tirar fotos com resolução de até 3624x2448 pixels e gravar vídeos em Full HD com resolução de 1920x1080 pixels, além de possuir flash. Sua câmera frontal de 2 megapixels permite videoconferências em boa qualidade (720p e 30fps). Além disso conta com uma luz Led para notificações.

Por dentro o smartphone conta com um processador Snapdragon 410 64 bits rodando em quatro núcleos em 1.2GHz. Possui 1 GB de RAM e 8 GB de memória interna, expansível até 32 GB com Cartões SD.

O Xiaomi Redmi 2 conta com um sistema operacional chamado MIUI 6, uma versão adaptada do Android 4.4.4 KitKat para atender o hardware específico do aparelho. Uma boa sacada. Quanto aos aplicativos, testes nos informam que ele roda bem tudo, inclusive jogos mais leves (como Candy Crush ou Clash of Clans), mas começa a travar com jogos mais pesado.

Segundo testes, sua bateria conseguiu aguentar 8 horas seguidas reproduzindo vídeos, navegou por aproximadamente 5 horas na internet e suporta um dia inteiro de uso moderado. Se isso ainda não for suficiente, a Xiaomi também oferece como acessório a parte o Mi Bank, um carregador externo que pode te ajudar quando for passar muito tempo longe de uma tomada, principalmente em viagens.

Além disso possui o básico oferecido por outros smartphones, como bluetooth, multimídia, rádio, conexão Wi-Fi e GPS.

O smartphone também conta com a versão Redmi 2 Pro, que tem o dobro de memória, passando para 2 GB de RAM e 16 GB de memória interna, com preço sugerido a partir de R$720.

É possível encontrar estoques deles em grandes sites de e-commerce. Caso queira mais especificações acesse esse link.

Com todas essas informações podemos dizer que o grande benefício do Xiaomi Redmi 2 está no preço. É um celular completo por um valor acessível. Não deixa a desejar se comparado com outros celulares de entrada de outras marcas.

Xiaomi Redmi 4A – A linha mais vendida

A linha Redmi 4 é a evolução do Redmi. Conta com um design que lembra muito seu antecessor, com linhas discretas e elegantes. Conta com a cor dourada, cinza claro, cinza escuro e azul. Seu corpo continua contando com um toque agradável.

Xiaomi Redmi 4A

Xiaomi Redmi 4A é um poderoso smartphone para sua faixa de preço e ainda é ultra fino, contando com apenas 8,5 milímetros de espessura.

As diferenças já começam no corpo, pois é ligeiramente maior do que seu antecessor. 139,5 x 70,4 x 8,5 milímetros. Mesmo assim é mais leve, com apenas 131 gramas. Seu painel IPS LCD de 5 polegadas, de 720x1280 pixels, apresenta um excelente nível de brilho e visibilidade, superando até mesmo alguns modelos mais caros.

Sua câmera também melhorou. Com 13 megapixels, consegue tirar fotos com resolução de até 4160x3120 pixels e gravar vídeos em Full HD. Sua câmera frontal também melhorou, passando a ter 5 megapixels. Continua contando com um Led para flash.

Por dentro muda bastante coisa. Seu processador Qualcomm Snapdragon 425 com quatro núcleos a até 1,4 GHz. Conta com 2 GB de memória RAM e já vem com 16 GB de memória interna, expansível até 256 GB com Cartões SD.

Sua bateria no entanto não consegue melhorar muito em relação à seus antecessores, o que não é exatamente uma má notícia. Continua aguentando cerca de 17 horas de uso contínuo, conseguindo ficar 8 horas com a tela ligada o tempo inteiro. No entanto, a bateria suporta um dia inteiro de uso moderado.

Seu software continua contando com o sistema operacional MIUI, dessa vez na versão 8. O MIUI é uma versão adaptada do Android 6.0.1 Marshmallow, adaptadas a atender as necessidades específicas de seu hardware. Quando aos aplicativos, o Redmi 4A roda tudo muito bem, inclusive jogos.

Com o preço inicial sugerido a partir de R$590, o Xiaomi Redmi 4A é uma excelente opção para sua faixa de preço. Porém, ainda conta com upgrades.

As versões 4, 4 Pro e 4X trazem alguns complementos. A iniciar que as versões 4 e 4 Pro são ligeiramente maiores, contando com dimensões de 141,3 x 69,6 x 8,9 milímetros e 156 gramas e a versão 4 Pro tem uma tela melhor, com definição de 1080x1920 pixels. No entanto as maiores diferenças são internas, onde o Redmi 4 possui dois processadores com quatro núcleos funcionando em paralelo, enquanto que o Redmi 4 Pro possui um processador Snapdragon 625 com oito núcleos. A versão Redmi 4 Pro ainda aumenta o dobro de sua memória, contando com 3 GB de memória RAM, 32 GB de memória interna. Nada mal, não é mesmo?

Xiaomi MiA1 – O novo lançamento

Programado para ser lançado em 12 de setembro de 2017. Uma parceria da Xiaomi com o Google faz com que o sistema operacional Android One tire o melhor proveito possível do hardware. Além disso, o smartphone, que continua com linhas minimalistas, virá nas cores Black, Gold e Rose Gold.

Xiaomi MiA1

 

O nome Xiaomi MiA1 é uma junção da linha Mi com a inclusão do Android One. Sua câmera dupla chama a atenção e continua sendo um excelente custo benefício.

O que mais chama a atenção nele é a dupla câmera, ambas com 12 megapixels. A primeira é uma lente grande angula, que capta uma área maior a sua frente. A segunda é uma lente para telefoto que permite zoom ótico, uma funcionalidade muito interessante. As duas juntas podem formar efeitos interessantes, como o “bokeh shots” que permite focar em um elemento e deixar os outros embaçados, algo que poucas câmeras fazem, até mesmo algumas pertencentes a smartphones mais caros.

Conta também com uma câmera frontal de 5 megapixels, amplificadores acústicos, Led de flash para fotos. Sua tela led de 5,5 polegadas conta com a tecnologia Corning Gorilla Glass, que é o famoso vidro inquebrável dos smartphones. Por dentro conta com um processador Snapdragon 625 e 4GB de RAM, além de 64 GB de memória interna. Nada mal mesmo!

Tem o preço sugerido de lançamento de $235 dólares, e será lançado na Índia. Infelizmente, para nós, apenas importado.

Mi Band 2

Os smartphones Xiaomi contam com uma grande gama de acessórios. O mais notável deles é o Xiaomi MiBand, um smartwatch de respeito. A pulseira em cor preta é bem discreta, em material emborrachado e antialérgico, funciona com um relógio de pulso inteligente, com conexão completa com o smartphone.

Mi Band 2

 

Se você é da geração fitness, não há nem o que pensar, o Mi Band 2 é uma excelente aquisição.

Sua tela é um pequeno OLED com ótima visibilidade, que exibe informações como hora, batimentos cardíacos, progressos em atividades físicas, notificações do celular, dentre outros. Permite comandos tanto touch quanto por movimentos do pulso.

É a prova d’água em certas circunstâncias (até 1 metro e por no máximo 30 minutos), o que faz com que não seja necessário tirá-lo em dias de chuva ou se desesperar se esquecer de tirá-lo durante o banho, afinal é um acessório leve e que se adapta bem ao corpo.

A melhor notícia é que o Mi Band 2 não é um acessório exclusivo dos smartphones Xiaomi. Funcionam com qualquer celular Android ou iPhone. Outra boa notícia é que o acessório custa a partir de $23 dólares, um valor bem abaixo dos concorrentes. Se você ainda não gostou da cor da pulseira, é possível trocá-la. Então se você está pensando no projeto fitness, saiba que o Mi Band 2 pode ser um poderoso assistente.

Os smartphones Xiaomi continuarão funcionando no Brasil?

Uma das grandes preocupações do consumidor que importa de smartphone é saber se ele funciona dentro do nosso país. É uma dúvida legítima, já que muitos modelos importados sofrem com esse problema e smartphones não são lá muito baratos por aqui.

Para funcionar corretamente no Brasil com conexão 3G, é necessário que o smartphone seja quadriband. Para conexões 4G, o smartphone deve atender a Banda 7, isso é, atender as frequências 2,5 e 2,6 GHz.

Ficou confuso? E é mesmo! Porém, o site willmyphonework.net pode ajudar com isso. Apesar do site ser em inglês, é muito fácil de ser utilizado, basta selecionar a marca (Brand), modelo (Model), o país (Country), a operadora (Carriers) e clicar no botão Search. Rapidamente aparecerá uma tabela mostrando se funciona ou não.

Xiaomi

Se aparecer um ícone azul, significa que o celular é compatível. Um ícone amarelo significa que é compatível, mas pode apresentar falhas. Um ícone vermelho informa que o celular não é compatível.

Por que a empresa deixou o Brasil?

A resposta é complicada, mas pode começar com: ela não deixou o Brasil, apenas mudou sua estratégia em terras tupiniquins, assim como outra gigante da tecnologia: a Sony.

O motivo não deve ser novidade para ninguém: altas cargas tributárias, burocracia demais para indústrias e o retorno de taxas como o PIS/Cofins para eletrônicos, além de novas regras para o ICMS que afetou principalmente os e-commerce. Se não bastasse isso, o mercado nacional mudou muito nos últimos dois anos devido às novas realidades de nossa economia.

No entanto a empresa chinesa informa que não desistiu do Brasil, apenas está se reestruturando, não abandonando a pretensão de ingressar no mercado nacional. Segundo informou a própria empresa: com as constantes mudanças nas regras de fabricação e tributação a Xiaomi optou por não fazer novos lançamentos no Brasil à curto prazo, mas pode voltar a fazê-lo em outro momento.

Onde comprar?

Você pode adquirir celulares Xiaomi sem grandes dificuldades através de sites importadores como o gearbest.com e o aliexpress.com. No entanto, ainda há estoque dos modelos lançados no Brasil em lojas como Walmart e Submarino, principalmente do Redmi 2. Também é possível acompanhar as novidades através de seu site (xiaomibr.net).

Comentários