Confira a lista com os melhores jogos do ano (2007 - 2017)

Por Ismaellx Quinta-feira, 04 de Janeiro de 2018

Melhores jogos do ano

Com tantos jogos na praça é difícil se decidir entre quais são os melhores, famosos ou até mesmo revolucionários, assim provocando discussões intermináveis na internet entre milhões de jogadores pelo mundo todo, revistas e sites especializados viram um espaço afim de participar dessa discussão premiando jogos desde o final da década de 80. Hoje com o avanço da tecnologia e da indústria dos jogos, temos até o The Video Game Awards que basicamente é o Oscar dos games, com grandes apresentações e tudo mais.

Nesse clima de virada de Ano vamos fazer uma retrospectiva com os ganhadores do Game of the Year (GOTY) desde o ano de 2007 até os dias de hoje.

Bioshock (2007)

Criado e distribuído pela 2K, Bioshock foi lançado para o 360, PS3 e PCs com uma premissa muito profunda e violenta, a história tem conceitos políticos e religiosos, sendo bem vasta e rica. Tem como elemento principal na jogabilidade ser um FPS, ele traz também elementos de RPG, com escolhas positivas e negativas, tendo finais diferentes, e elementos de survival horror que pode fazer sua forma de batalha.

Um jogo fantástico que pode te prender, mas há cenas fortes o que pode afastar alguns, mas com certeza um jogo que daqui a 20 anos, será lembrado como clássico em quesito história pra essa geração.

Fallout 3 (2008)

Fallout 3

Provando que os ocidentais sabem fazer RPGs, a Bethesda fez Fallout 3, lançado para 360, PS3 e PC. Com seu cenário pós-apocalíptico impressionou muito com sua jogabilidade em primeira pessoa, customização de personagem, sistema de evolução de personagem, e sua variedade de equipamentos, quests e etc, além de não ser nada linear. E com isso tudo ainda traz dois métodos de combate, um é simplesmente "point & shoot" ("aponte e dispare", como num FPS, mas com resultado baseado nos atributos, perícias e vantagens) e outro é chamado V.A.T.S. (Vault-tech Assisted Targerting Sistem), no qual o jogo é pausado e o jogador tem a liberdade de escolher com calma qual arma utilizar bem como qual parte do corpo do inimigo deseja atingir (novamente, o resultado final é baseado nos atributos, perícias e vantagens do personagem). Esse é daqueles games que são ótimos, mas tem cenas um tanto pesadas, mas vale a pena arriscar.

Batman Arkham Asylum (2009)

Batman Arkham Asylum

Baseado nos quadrinhos e o primeiro da série Batman da Rocksteady Studios, Batman Arkham Asylum foi lançado para 360, PS3 e PC. E veio para revolucionar os jogos de ação-aventura com um sistema de combate extremamente intuitivo, e elementos stealth que fazem você se sentir o Batman, podendo não so atacar furtivamente, mas interrogar seus inimigos afim de conseguir informações, além de vários estilos de jogo como Detetive e Predador, e para comemorar sua premiação, esse jogo tem a versão GOTY que possibilita jogar com o Coringa, pra quem gosta de ação e não jogou esse jogo, não sabe o que está perdendo.

Red Dead Redemption (2010)

Red Dead Redemption

Criado pela Rockstar, Red Dead Redemption fez com quem ama os ambientes de velho oeste tenham um jogo impecável para se divertir, lançado para 360 e PS3 (infelizmente para PC não), Red Dead emplacou trazendo esse clima de velho oeste com uma junção da jogabilidade de GTA, obvio que com adaptações como no lugar de carro usamos cavalos por exemplo, uma mecânica de Bullet Time, quem que você atira em câmera lenta nos inimigos, multiplayer com 16 jogadores sendo em Co-op ou em PVP, sem contar na história que também é ótima e com certeza esse jogo continua o legado de jogos excelentes da Rockstar.

The Elder Scrolls V: Skyrim (2011)

The Elder Scrolls V: Skyrim

De todos os jogos citados aqui, esse é o que eu considero o melhor (sim gosto muito desse jogo), lançado para Ps3, 360, PC e mais tarde para XONE, Ps4 e Switch. Feito pela Bethesda (a mesma que fez o Fallout) ele é um RPG brutalmente enorme, vasto, com centenas de quests e o engraçado que as side quests são tão boas que parece que você está vivendo outras histórias com o seu próprio personagem.

The Elder Scrolls V: Skyrim

O sistema de combate é excelente, podendo ser alternado entre primeira e terceira pessoa, uma variedade de armas, equipamentos, itens para crafting, magias, sem contar as criaturas que são bem-feitas e também as épicas batalhas com dragões que são inesquecíveis, tanto que os NPCs da cidade vêm para te ajudar como se fosse algo real, de todos os jogos é o que mais recomendo, pois não tem desvantagem esse jogo.

Journey (2012)

Journey

No meio de tantos jogos AAA, surge um jogo independente mostrando que como pouco é possível fazer jogo bom, exclusivo de PS3, Journey é uma obra de arte e de certa forma abstrata, em que o jogador além de se sentir sozinho, não existe conversas ou falas de algum narrador, e a parte mais impressionante é que outros jogadores, podem entrar no seu jogo e te ajudar em sua jornada, e quando você menos esperar, cada um vai para o seu lado, seguindo o seu caminho.

O problema desse jogo que além dele ser fantástico, há quem não goste dele, pois ele tem um ritmo diferente de um jogo de ação, então se quer um jogo mais movimentado é melhor passar por este, mas caso queira experimentar, vai fundo.

Grand Thief Auto V (2013)

Grand Thief Auto 5

Agora vou lhes apresentar o jogo que quebrou a indústria do entretenimento por completo, sim você não leu errado, nada e eu repito, nada causou tanto barulho no seu lançamento como GTA5, o filho primogênito da Rockstar, quebrou recordes e mais recordes no ano de seu lançamento sendo o produto de entretenimento mais vendido da história, entrando até para o Guinness.

GTA trouxe tudo de bom dos outros títulos e inovou mais ainda, podendo utilizar não só um personagem, mas 3 personagens, tem o maior mapa de todos, possibilidade de mods, multiplayer e tudo mais, outro que nasceu clássico, caso queira jogar pode ser jogado no PS3, PS4, 360, XONE e PC, então não tem desculpas.

Dragon Age Inquisition (2014)

Dragon Age Inquisition

Feito pela gigante Bioware e lançado para PS3, PS4, 360, XONE e PCs, é do mesmo nível que o Skyrim. É um RPG enorme, cativante, tem personagens memoráveis, e tem um capricho absoluto com detalhes, até pra subir ladeiras o personagem tem uma desaceleração, mostrando que eles não estão para brincadeira, tem sistema de customização fantástico, ótimo sistema de combate, sistemas de escolhas e karma excelente, apesar de ser um ótimo título, joguei pouco, entorno de 10 horas de jogo, e não pude tirar o máximo de proveito, mas é um jogo que vale gastar o tempo para termina-lo.

Fallout 4 (2015)

Fallout 4

Mais um gigante da Bethesda, sim ela mesma, felizmente só faz jogão, e esse não foi diferente, lançado para PC, PS4 e XONE, Fallout 4 veio para mostrar que a franquia não está pra morrer, continua com seu estilo de combate da série, sistema de profissões, e as quests extremamente bem feitas, mas há pessoas que criticam esse jogo por alguns bugs na parte gráfica, na minha concepção não ofuscam o brilho do jogo, mas entendendo que para um jogo ser eleito como jogo do ano, ele tem que ser quase perfeito, mas mesmo assim ele é um ótimo jogo mantendo a tradição da série.

Overwatch (2016)

Overwatch

Quando a Blizzard resolve sair do seu mundo e inovar, ela inova muito, fazendo seu primeiro FPS competitivo, ela já provou que sabe fazer um jogo ótimo e equilibrado.

Overwatch foi lançado para Ps3, XONE e PCs, com um estilo gráfico excelente, ótima variação de personagens com um excelente background que enriquecem a lore do jogo e aumentar o carisma deles, tem vários estilos de jogo inspirados no jogo Team Fortress 2 e em outros jogos de FPS, e é uma ótima pedida pra quem gosta desse gênero.

Zelda: Breath of the Wild (2017)

Zelda: Breath of the Wild

A Nintendo com seu novo console vindo não podia deixar se repetir o que aconteceu com o seu antecessor WII U, que foi deixa-lo com poucos jogos de peso, então como jogada de marketing ela lançou Zelda: Breath of the Wild junto com seu novo console, o Switch, para impulsionar suas vendas, e deu muito certo mesmo tendo lançado para o Wii U, o que é engraçado que as vezes até esquecemos que existe versão para ele.

Agora falando do jogo em si, ele veio realmente muito bom, com uma variedade de equipamentos nunca antes vista em Zelda, no caso se você quiser usar um pedaço de madeira que achou no chão você pode, e ela tem durabilidade, depois de alguns golpes ela pode vir a quebrar, que na minha visão deu um ar realista e interessante. Ele está repleto de dungeons, puzzles e uma história que prende, fora as paisagens que são de tirar o folego, junto com sua trilha sonora que é linda. O único problema do game são suas plataformas, já que no Brasil é mais difícil conseguir um console Nintendo já que ela não dá suporte por aqui, e tudo dela é mais caro, mas caso tenha condições, vale a pena jogá-lo.

Comentários